Escolha uma Página

Os debates sobre as inovações tecnológicas na área da medicina demonstram que a qualidade de vida tende a melhorar a partir da agilidade em realizar atendimentos e tratamentos que são oferecidos por novos equipamentos, aplicativos e softwares.

Os avanços da tecnologia têm beneficiado cada vez mais a nossa sociedade, com facilidades e soluções eficientes que elevaram a qualidade e expectativa de vida em geral. Aplicadas a medicina, as novidades tecnológicas abrem novos caminhos a serem explorados pelos pesquisadores médicos.

O que talvez você não saiba, é que a tecnologia na medicina não está apenas presente nos equipamentos que são usados no dia a dia, mas já existem aplicativos digitais que possibilitam novos meios de exercer a profissão, assim como outras alternativas de atendimento e tratamentos.

É fato que as novidades tecnológicas impactam desde o ensino universitário até a atuação da prática da médica. Os procedimentos que foram automatizados, o acesso fácil e rápido à internet, as novas estruturas de salas de cirurgia, exames e tratamentos. E ainda as formas de prevenção de doenças, com equipamentos que realizam exames mais complexos com rapidez e segurança facilitaram o desenvolvimento dos procedimentos médicos.

Uma Pesquisa divulgada pelo Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação (CETC), apontou que em 2018 no Brasil havia 91% dos hospitais com acesso a internet garantido e em uso rotineiramente. Existem diversas facilidades decorrentes do sistema de informação para gestão hospitalar, clínica, e de consultórios.

Você sabia? Um levantamento realizado pela Accenture revela que 61% dos médicos brasileiros usam algum tipo de ferramenta de TI para realizar a observação dos pacientes, o que ajuda a otimizar o tempo gasto durante as consultas. E ainda tem cerca de 38% de profissionais que utilizam a tecnologia aplicada em procedimentos eletrônicos para a administração.

A medicina do futuro traz mais agilidade e precisão para a emissão de laudos, resultados de exames ou pesquisas.

Os dados divulgados pela Aliança Brasileira da Indústria Inovadora em Saúde (ABIIS) informam que existem mais de 500 mil tecnologias diferentes que são voltadas para a área da medicina, e estão em uso atualmente no país.

Avanços nas especialidades médicas

Os avanços tecnológicos na medicina estão presentes em todas as áreas, porém, algumas especialidades sentem mais mudanças. A partir deste panorama existe um debate de que no futuro a inteligência artificial e a realidade virtual poderão desenvolver médicos robôs.

Atualmente a tecnologia tem permitido que os profissionais se concentrem mais em tratamentos de pacientes de forma inovadora e criativa. Porque ao invés de se concentrarem em desempenhar funções puramente técnicas, a tecnologia inovadora de alguns aparelhos e softwares possibilita ao profissional a chance de confiar nos resultados que são automaticamente entregues.

Assim, com essa estrutura o médico também tem a chance de tentar novas opções de tratamentos.

Os impactos da tecnologia na medicina familiar

Entre as especialidades que mais vão avançar com as novas tecnologias, a medicina familiar se destaca por conta do suporte oferecido. Existe uma confiança pré-estabelecida entre o médico e o paciente, aplicando esse conceito de novas tecnologias na medicina com o uso de sensores e dispositivos de monitoramento remoto é possível realizar acompanhamentos e evoluções de casos clínicos à distância, agilizando assim os tratamentos e estabelecendo uma relação de maior ainda de confiança entre os envolvidos no procedimento.

A tecnologia aplicada a medicina facilita o atendimento porque possibilita a chance de reconhecer uma emergência muito mais rápido, o que pode salvar a vida do paciente.

Vamos usar como exemplo a área da oncologia, onde os resultados precisam ser exatos. O câncer de mama pode passar por até quatro estágios, mas é apenas no primeiro que o paciente tem garantido cerca de 95% de chance de cura. Sabemos que quanto antes for diagnosticado, existem mais chances de tratamentos e cura.  Mas quanto mais tempo se passa, aí a estimativa de cura se inverte e a taxa de mortalidade passa a ser de 95%.

Por isso a tecnologia na medicina é um ganho humanitário, e seu uso em diversas áreas é indiscutivelmente a favor da vida. Mesmo assim, ainda vivemos o risco, pois é necessário aliar a tecnologia a gestão para aumentar as chances de sucesso em atendimentos médicos. Quando falamos em gestão, trata-se de ter uma equipe profissional bem treinada e eficiente, além das politicas de atendimento do hospital.

Na saúde, o paciente é como um cliente no comércio, suas necessidades precisam ser “supridas” para que o tratamento seja eficiente e dê resultados. Em casos de clínicas e hospitais particulares, esta filosofia de atendimento é essencial, tendo em vista que um paciente satisfeito se torna um “cliente fiel”.

Medicina de emergência

Como já abordamos neste texto, a tecnologia é uma aliada na hora de avaliar qual o nível, urgência e o tratamento necessário para cada caso. Em alguns, o tempo é determinante para o paciente, por exemplo em situações de emergências. Nestes casos a resposta precisa ser também urgente, então, qualquer inovação tecnológica que possibilite encurtar este tempo do primeiro atendimento é bem vinda para agilizar o tratamento necessário.

Existem drones médicos que tem grande potencial de voo e podem transportar medicamentos, vacinas e outros auxílios médicos que farão a diferença em situações de desastres naturais, onde as vítimas ficam em difíceis lugares para acesso. Você sabia? O Google dispõe de tecnologias médicas inovadoras, e recentemente patenteou um tipo de dispositivo que pode solicitar um drone médico em situações emergenciais, para levar até o local um equipamento médico salva-vidas. Pesquisadores da Universidade de Toronto (EUA) estão avaliando essa ideia com base no que é usado em uma espécie de drones ambulâncias que atuam na Holanda.

Tecnologias internacionais

Na Holanda existe um drone “ambulância” que disponibiliza equipamentos médicos para atendimento emergenciais. É oferecido desfibriladores externos automáticos (DEAs) para atendimento de pessoas que sofreram ataques cardíacos.

O desenvolvimento de dispositivos portáteis e sensores possibilita verificar com agilidade qual é a emergência naquele exato momento do atendimento.